Síndrome de tremor ligado ao X

O tremor ligado ao X, a síndrome do cachorro trémulo ou a hipomielinização canina é um defeito hereditário que resulta num atraso da mielinização do sistema nervoso nos cães da raça springer spaniel.

Sintomas

Os sintomas aparecem normalmente pouco depois do nascimento, entre a primeira e a segunda semana. Os cachorros afectados começam a apresentar tremores generalizados graves. Os cachorros mais afectados podem ter problemas de alimentação devido aos seus tremores e ao atraso no crescimento. Os episódios de tremores diminuem à medida que o cachorro se torna menos ativo. A esperança de vida dos cachorros não excede os 4 meses.

Gestão da doença

Infelizmente, não há cura para a doença, os sintomas são graves e progressivos, o que na maioria dos casos leva à eutanásia.

Base genética

Esta doença segue um modo de hereditariedade recessivo ligado ao X. A hereditariedade recessiva ligada ao X significa que as cadelas têm de receber duas cópias da mutação ou variante patogénica (uma de cada progenitor) para desenvolver a doença, enquanto os machos apenas necessitam de uma cópia do gene mutado ou variante da mãe para desenvolver a doença. Os cães machos apresentam normalmente sintomas da doença. Cada cachorro macho nascido de uma mãe portadora da mutação tem 50% de hipóteses de herdar a mutação e, portanto, o risco de desenvolver a doença. As cadelas que não são portadoras da mutação não correm um risco acrescido de ter cachorros afectados. Não se recomenda o cruzamento entre cães portadores de variantes genéticas que possam causar a doença, mesmo que não apresentem sintomas.

Relatório técnico

A mielina é uma substância branca que envolve o axónio das células nervosas e facilita a transmissão rápida do impulso nervoso quando os músculos se contraem. A mielina permite um controlo muscular fino e, sem ela, não é possível um controlo muscular preciso. No sistema nervoso central, a mielina é produzida por células chamadas oligodendrócitos. Pensa-se que na doença do tremor ligado ao X há uma alteração na diferenciação dos oligodendrócitos e na produção de mielina por estas células. Nos cães Springer Spaniel afectados pela doença, os axónios do sistema nervoso central estão anormalmente desmielinizados e, nos que têm uma bainha de mielina, a espessura da bainha de mielina é mínima. O gene afetado nesta patologia é o PLP1, que produz a proteína proteolipídica da mielina, que é a proteína mais abundante na mielina e desempenha um papel crucial na formação e manutenção da estrutura multilamelar da mielina. A mutação na PLP1 responsável pela doença nos cães springer spaniel é a c.110A>C, identificada por Nadon et al.

As raças mais afectadas

  • Springer Spaniel

Bibliografia

Griffiths IR, Duncan ID, McCulloch M. Shaking pups: a disorder of central myelination in the spaniel dog. II. Ultrastructural observations on the white matter of the cervical spinal cord. J Neurocytol. 1981 Oct;10(5):847-58.

Nadon NL, Duncan ID, Hudson LD. A point mutation in the proteolipid protein gene of the 'shaking pup' interrupts oligodendrocyte development. Development. 1990 Oct;110(2):529-37.

Ainda não conheces a verdadeira natureza do teu cão?

Desvende os segredos do ADN do seu animal de estimação com as nossas duas gamas.

starter

Raças + Traços físicos

advanced

Saúde + Raças + Traços físicos

O teste de ADN que procurava