Polineuropatia progressiva de início precoce (gene NDRG1, Galgo Inglês)

A polineuropatia progressiva de início precoce caracteriza-se por uma disfunção dos nervos motores e sensoriais, que pode afetar os movimentos, a respiração ou outras funções vitais do cão. Um dos genes envolvidos na doença é o NDRG1.

Sintomas

Os sintomas clínicos surgem precocemente, entre os três e os nove meses de idade. Os primeiros sinais da doença incluem intolerância ao exercício, uma vez que podem ocorrer tremores ou colapso após o exercício, movimentos anormais da marcha e fraqueza simétrica dos membros posteriores. Outros sintomas que podem surgir mais tarde incluem ataxia, problemas vocais, atrofia muscular grave, incapacidade de subir escadas ou saltar, hiporreflexia, dificuldade em engolir e problemas respiratórios.

Gestão da doença

Atualmente, não existe tratamento para esta doença. No entanto, a fisioterapia e a criação de um ambiente seguro e confortável para o cão são duas medidas benéficas que ajudam a melhorar a qualidade de vida do cão.

Base genética

Esta doença segue um modo de hereditariedade autossómica recessiva, o que significa que o cão, independentemente do sexo, tem de receber duas cópias da mutação ou variante patogénica para estar em risco de desenvolver a doença. Ambos os pais de um cão afetado devem ser portadores de pelo menos uma cópia da mutação. Os animais portadores de apenas uma cópia da mutação não correm um risco acrescido de desenvolver a doença, mas podem transmitir a mutação às gerações futuras. Não se recomenda o cruzamento entre cães portadores de variantes genéticas que possam causar doença, mesmo que não apresentem sintomas.

Relatório técnico

A função do gene NDRG1 em cães não é conhecida com exatidão, mas alguns estudos afirmam que desempenha um papel na mielinização, maturação e manutenção do neurónio. Da mesma forma, o estudo de Bruun et al. (2013), que identificou uma mutação causadora de polineuropatia progressiva de início precoce no Malamute do Alasca, também descobriu que o gene NDRG1 é essencial no desenvolvimento e manutenção do axónio. A variante que causa a doença na raça Greyhound é uma deleção de 10 pares de bases no exão 15 do gene NDRG1. Esta alteração provoca uma mudança no quadro de leitura que afecta vários aminoácidos, o que tem um impacto grave na funcionalidade da proteína.

As raças mais afectadas

  • Galgo Inglês

Bibliografia

Ainda não conheces a verdadeira natureza do teu cão?

Desvende os segredos do ADN do seu animal de estimação com as nossas duas gamas.

starter

Raças + Traços físicos

advanced

Saúde + Raças + Traços físicos

O teste de ADN que procurava