Má absorção intestinal de cobalamina (gene CUBN, Border Collie)

A má absorção intestinal de cobalamina (MCI) é uma perturbação metabólica que impede a absorção correcta da vitamina B12 (cobalamina) no intestino. Esta doença pode ser causada por um defeito na proteína CUBN, que está envolvida na absorção de cobalamina a partir do lúmen intestinal.

Sintomas

Os sinais da doença aparecem normalmente nos cães entre as 6 e as 12 semanas de idade, incluindo a falta de crescimento e o apetite crónico. Os cães também apresentam diarreia, falta de energia e sonolência, estado mental alterado e falta de motivação para fazer exercício ou brincar.

Gestão da doença

A terapia para tratar a má absorção intestinal de cobalamina envolve a administração regular de cobalamina, por via oral ou parentérica, consoante a gravidade da doença. Além disso, é essencial seguir uma dieta adequada, rica em proteínas de alta qualidade, pobre em fibras e com níveis moderados de gordura, para melhorar a digestibilidade e a absorção dos nutrientes.

Base genética

Esta doença segue um modo de hereditariedade autossómica recessiva, o que significa que o cão, independentemente do sexo, tem de receber duas cópias da mutação ou variante patogénica para estar em risco de desenvolver a doença. Ambos os pais de um cão afetado devem ser portadores de pelo menos uma cópia da mutação. Os animais portadores de apenas uma cópia da mutação não correm um risco acrescido de desenvolver a doença, mas podem transmitir a mutação às gerações futuras. Não se recomenda o cruzamento entre cães portadores de variantes genéticas que possam causar doença, mesmo que não apresentem sintomas.

Relatório técnico

Os genes CUBN e AMN codificam proteínas que formam um complexo proteico transmembranar essencial para a absorção de cobalamina no intestino. Foi identificada uma mutação que afecta o gene CUBN e a proteína por ele codificada. Uma deleção (c.8392delC) no gene CUBN é responsável pela MIC nos Border Collies, uma vez que esta alteração genética resulta no aparecimento de um códão de paragem prematuro que causa a perda completa da função da proteína. Foi descrita uma provável variante causal na raça Beagle, que também consiste numa deleção de um único nucleótido (c.786del). No estudo de Sancho et al. (2020), um cão cruzado foi identificado como tendo heterozigotia composta, ou seja, uma cópia da variante descoberta no Border Collie e uma cópia da variante descoberta no Beagle. O efeito da heterozigotia, a nível clínico, foi muito semelhante ao obtido na homozigotia para qualquer uma das variantes.

As raças mais afectadas

  • Beagle
  • Border Collie
  • Komondor

Bibliografia

Drögemüller M, Jagannathan V, Howard J,et al. A frameshift mutation in the cubilin gene (CUBN) in Beagles with Imerslund-Gräsbeck syndrome (selective cobalamin malabsorption). Anim Genet. 2014 Feb;45(1):148-50.

Erles K, Mugford A, Barfield D,et al. Systemic Scedosporium prolificans infection in an 11-month-old Border collie with cobalamin deficiency secondary to selective cobalamin malabsorption (canine Imerslund-Gräsbeck syndrome). J Small Anim Pract. 2018 Apr;59(4):253-256.

Owczarek-Lipska M, Jagannathan V, Drögemüller C,et al. A frameshift mutation in the cubilin gene (CUBN) in Border Collies with Imerslund-Gräsbeck syndrome (selective cobalamin malabsorption). PLoS One. 2013 Apr 16;8(4):e61144.

Sancho IM, Holmes A, Adamantos S. Imerslund-Grasbeck syndrome in a cross-breed dog. J Small Anim Pract. 2021 Aug;62(8):709-711.

Ainda não conheces a verdadeira natureza do teu cão?

Desvende os segredos do ADN do seu animal de estimação com as nossas duas gamas.

starter

Raças + Traços físicos

advanced

Saúde + Raças + Traços físicos

Promoção Dia do DNA

Só até 25 de Abril

-15% nos nossos testes de ADN para cães

Utilize o nosso código DNA15