Hipomineralização dentária

A hipomineralização dentária é uma doença hereditária dos cães que afecta o processo de mineralização dos dentes, fazendo com que estes se tornem frágeis e se desgastem facilmente.

Sintomas

Os sinais de hipomineralização dentária podem incluir dentes que parecem translúcidos ou mais claros do que o normal, dentes que se partem ou desgastam facilmente e, possivelmente, inflamação no tecido que envolve os dentes, dor e desconforto ao mastigar. Em alguns casos, os dentes podem parecer normais a olho nu, mas podem ser mais susceptíveis à cárie e ao desgaste. Quando o desgaste dos dentes é grave, a polpa dentária pode ficar exposta.

Gestão da doença

Deve ser efectuado um exame dentário completo, que pode incluir radiografias para avaliar o interior dos dentes. O tratamento pode envolver a correção de quaisquer problemas nutricionais ou de infeção, bem como cuidados dentários regulares para ajudar a proteger os dentes.

Base genética

Esta doença segue um modo de hereditariedade autossómica recessiva, o que significa que o cão, independentemente do sexo, tem de receber duas cópias da mutação ou variante patogénica para estar em risco de desenvolver a doença. Ambos os pais de um cão afetado devem ser portadores de pelo menos uma cópia da mutação. Os animais portadores de apenas uma cópia da mutação não correm um risco acrescido de desenvolver a doença, mas podem transmitir a mutação às gerações futuras. Não se recomenda o cruzamento entre cães portadores de variantes genéticas que possam causar doença, mesmo que não apresentem sintomas.

Relatório técnico

A hipomineralização dentária nas colónias fronteiriças é causada por uma mutação no gene FAM20C, que demonstrou estar relacionado com o processo de diferenciação celular dos odontoblastos (células que produzem dentina), ameloblastos (células que produzem esmalte dentário), osteoblastos (células que produzem matriz óssea) e osteócitos (células que constituem o tecido ósseo) durante o desenvolvimento dos dentes e dos ossos. Hytönen et al. observaram que a mutação causadora da doença FAM20C é c.899C>T. Afecta um aminoácido altamente conservado na proteína FAM20C que está localizado no domínio funcional da cinase, pelo que a função da proteína pode ser alterada.

As raças mais afectadas

  • Collie da fronteira

Bibliografia

Ainda não conheces a verdadeira natureza do teu cão?

Desvende os segredos do ADN do seu animal de estimação com as nossas duas gamas.

starter

Raças + Traços físicos

advanced

Saúde + Raças + Traços físicos

Summer Sale Apenas até 25 de julho nos nossos testes de ADN para cães. Utilize o nosso código SUMMER15
Comprar